Albardas e Alforges... nunca vi nada assim! Minto... já vi!
Sábado, 22 de Maio de 2004
CONTINUAÇÃO de “Outros fogos e os "mesmos" objectivos!”

Parte IV


Geopolítica: Os Estados Unidos, por sua culpa, “encaixaram” uma série de importantes reveses no quadro da ONU. Em Março de 2001, imagine-se, foram expulsos da Comissão de Direitos Humanos, por terem votado sistematicamente contra todas as resoluções aprovadas por aquela instituição, desde 1948. Em Junho do mesmo ano, a Conferência de Bona aprovou o Protocolo de Kyoto, por 178 votos contra um (Estados Unidos). Em seguida, os Estados Unidos foram levados a retirar-se da Conferência contra o Racismo, de Durban, juntamente (com quem?) com Israel.


Claro, como se viu no caso da invasão do Iraque, Bush deu o troco (só que o dito é mau de contas... e pagamos todos). Na prática, a arrogância imperialista dos Estados Unidos destruiu a ONU. Todas as medidas anunciadas por Washington após o 11 de Setembro passaram à margem e ao largo daquela instituição. Claro, que isso já tinha acontecido, em certa medida, durante a guerra do Kosovo (quando as iniciativas foram tomadas no quadro da NATO). Mas, depois e agora, todas as máscaras caíram, definitivamente. O Tio Sam não atribuiu nenhuma legitimidade à organização (até quando? Ou o modelo está esgotado? É urgente “outra” ONU).


Isso está a ser especialmente perigoso quando se considera que, com a operação militar actualmente em marcha, a Casa Branca tem um objectivo estratégico bastante preciso: lançar sólidas bases que lhe permitam controlar total ou parcialmente a Eurásia, região considerada absolutamente "estratégica", no século 21, pelo establishment intelectual americano. Só que, para realizar esse plano, os Estados Unidos ainda têm de criar um "cordão sanitário" em torno da Rússia. Esses objectivos já foram anunciados em 1992, quando o Pentágono aprovou uma resolução, intitulada Defense Planning Guidance (Guia de Planeamento de Defesa), alguns trechos foram publicados no jornal The New York Times (de 3 de agosto de 1992). No fundamental, o documento estabelece como um dos objectivos centrais do governo de Washington "neutralizar" e "impedir o renascimento" da rival Rússia. Na prática, tinha como uma das conseqüências imediatas "ampliar a presença" dos Estados Unidos nos países que faziam parte da União Soviética, assim como nos Bálcãs e no antigo Leste europeu.


Essa perspectiva foi também defendida por Zbigniew Brzezinski, ex-chefe do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos e um de seus mais influentes estrategistas. Brzezinski explicita (va) três razões principais para "neutralizar" a Rússia: é o país que liga a Europa à Ásia, é dona de vastos recursos naturais (ainda mais, se contarmos com os países sob a sua influência) e, sendo altamente instável do ponto de vista político, pode permitir que novos movimentos "comunistas" ou nacionalistas tomem o poder, assim como provar-se incapaz de conter a "expansão islâmica".


A "conquista da Eurásia" é a pedra angular da sua estratégia. "Cerca de 75 por cento da população mundial vive na Eurásia, que possui a maior parte dos recursos naturais do planeta... Ali estão 60 por cento do PIB do planeta e cerca de 75 por cento das suas reservas conhecidas de energia... Depois dos Estados Unidos, as outras seis maiores economias e os seis maiores investidores em armas estão localizados na Eurásia. Todos os poderes nucleares, excepto um, estão ali localizados" (Zbigniew Brzezinski, The Grand Chessboard: American Primacy and its Geostrategic Imperatives, Basic Books, Nova York, 1997).


Não há dúvida, portanto, de que a presença militar na Ásia Central não corresponde, em hipótese alguma, a uma "reacção ao terrorismo". É o resultado de uma estratégia de longo alcance, muito bem pensada, que lança mão do pretexto e que se colocou em marcha. Daí também a fabricação do "fanatismo islâmico". O "combate ao Islão" tem como real justificativa o solo geopolítico sobre o qual ele se desenvolve.


Continua...



publicado por albardeiro às 14:18
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

A MENTIRA

ELEIÇÕES

TIROS NO PORTA-AVIÕES

A NOVA ORDEM

INFORMAÇÃO

ERA UMA VEZ

ILUSÃO FATAL

A LIÇÃO

SALVE-SE QUEM PUDER

ESCOLHA RACIONAL

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds