Albardas e Alforges... nunca vi nada assim! Minto... já vi!
Domingo, 12 de Setembro de 2004
Insisto... poesia para o meu gosto!

Sempre gostei do pendor satírico do Elmano Sadino. A sua obra é constituída por todos os géneros poéticos em curso no seu tempo, mas foi no soneto que deixou o melhor de si próprio; nas suas composições combina elementos neoclassicistas com o gosto pelo pré-romantismo. A solidão, o sofrimento, o amor-ciúme, o belo-horrível, a morte, são alguns dos temas que trata, de acordo com o próprio infortúnio da sua vida. O que se segue é um dos sonetos que mais gosto.


Nos campos o vilão sem susto passa


Nos campos o vilão sem susto passa


inquieto na corte o nobre mora;


o que é ser infeliz aquele ignora,


este encontra nas pompas a desgraça;


 


aquele canta e ri, não se embaraça


com essas coisas vãs que o mundo adora;


este (oh cega ambição!) mil vezes chora,


porque não acha bem que o satisfaça;


 


aquele dorme em paz no chão deitado,


este no ebúrneo leito precioso


nutre, exaspera velador cuidado,


 


triste, sai do palácio majestoso.


Se hás-de ser cortesão mas desgraçado,


antes ser camponês e venturoso.


 


Afinal ainda há outro...!


Vós, Crédulos Mortais, Alucinados Vós,


crédulos mortais, alucinados


de sonhos, de quimeras, de aparências


colheis por uso erradas consequências


dos acontecimentos desastrados.


 


Se à perdição correis precipitados


por cegas, por fogosas, impaciências,


indo a cair, gritais que são violências


de inexoráveis céus, de negros fados.


 


Se um celeste poder tirano e duro


às vezes extorquisse as liberdades,


que prestava, ó Razão, teu lume puro?


 


Não forçam corações as divindades,


fado amigo não há nem fado escuro:


fados são as paixões, são as vontades.


 


... oh! Calhando ainda há muitos mais...!



publicado por albardeiro às 13:42
link do post | comentar | favorito
|

pesquisar
 
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


posts recentes

INFORMAÇÃO

ERA UMA VEZ

ILUSÃO FATAL

A LIÇÃO

SALVE-SE QUEM PUDER

ESCOLHA RACIONAL

VERDADE E CONSEQUÊNCIA

PRAÇA DA JORNA

CONTAS

FAZER DE CONTA

arquivos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds